Conselhos Babaria

Aloe Vera: Tudo o que precisas de saber sobre a Aloe Vera e suas propriedades dermocosméticas

03 Mar, 22

Muitos são os ingredientes naturais utilizados na cosmética, não obstante, se existe um que devemos destacar dos restantes é a Aloe Vera. Um produto cujas propriedades regeneradoras e hidratantes tornaram-no um dos principais componentes da cosmética natural e da dermocosmética em geral.

E a Aloe Vera pode ser utilizada para tratamentos faciais, corporais e inclusive capilares, devido ao amplo espectro dos seus benefícios. Queres saber mais sobre este ingrediente multifuncional? No post de hoje descreveremos tudo sobre isso:

O que é a Aloe Vera?

Se nos remetermos à origem etimológica do termo, a palavra Aloe Vera significa “verdadeiro medicamento”, uma denominação que surge da combinação do latim e do grego para dar nome a esta planta.

Não é de estranhar que o seu significado faça referência às capacidades curativas da planta, dado que a Aloe Vera, há quatro mil anos, foi considerada um remédio popular para curar feridas ou queimaduras na pele. Um papel que tem vindo a adquirir após a constatação popular, e posteriormente científica, das suas propriedades regenerativas que ajudam a acelerar a cicatrização da pele.

De entre as propriedades da Aloe Vera, destaca-se a sua alta capacidade hidratante, que hidrata a pele seca e gretada, bem como a sua utilização na prevenção e tratamento da hiperpigmentação causada pela radiação solar na pele, graças à sua capacidade restauradora celular. Diversos benefícios comprovados cientificamente, que apoiam a utilização desta planta a nível dermocosmético, fazem com que seja um dos ingredientes mais atrativo no cenário cosmético.

 

Qual é a sua origem?

A primeira civilização conhecida a utilizar a Aloe Vera no âmbito dermocosmético do Aloe Vera é a egípcia, uma cultura que se destaca de entre outras coisas pelo culto à beleza.

Vera é a egípcia, uma cultura que se destaca de entre outras coisas pelo culto à beleza. Encontramos as primeiras referências, à utilização desta planta como terapia de beleza, em inscrições e túmulos de faraós. De fato, sabe-se que famosas rainhas do antigo Egito, como Cleópatra e Nefertiti, usavam a Aloe Vera como terapia de beleza, uma fórmula cosmética também usada pelos homens nos banhos e em loções, que utilizavam o sumo do vegetal para manterem uma aparência cuidada.

Também existem evidências de que outras culturas descobriram e utilizaram a Aloe Vera para propósitos estéticos e curativos. Na Bíblia encontramos referências à sua utilização, bem como nos escritos chineses que denominavam a Aloe Vera como o “elixir da juventude”. Não é de estranhar, consequentemente, que hoje este ingrediente tenha imensa presença nos produtos cosméticos asiáticos, os quais defendem os tratamentos naturais ou os compostos com alta concentração de ingredientes naturais para um excelente cuidado da pele.

Não obstante, para obter as propriedades que esta planta nos oferece, atualmente realizam-se diferentes orientações no que diz respeito aos processos de cultivo, extração e manipulação, que permitem obter todos os benefícios da Aloe Vera.

O processo de produção da Aloe Vera, atualmente, é feito através do cultivo da própria planta. A solução para a sua obtenção baseia-se no tempo, temperatura e segurança no processo de colheita durante as diferentes fases.

Desta forma, sabe-se que as folhas apresentam perda de atividade biológica após seis horas da sua colheita à temperatura ambiente. Além disto, a perda destas propriedades culmina na sua totalidade em 24 horas, pelo que o tempo de colheita e processamento deve ser rigoroso para evitar que aconteça. O tempo total do processamento da Aloe Vera deve ser concluído dentro de 36 horas após a colheita das folhas.

Como se faz o gel? Muito simples. A obtenção manual do gel é feita com malhas metálicas. Desta forma, a folha da planta é introduzida nessa mesma malha até obter um gel consistente que, posteriormente, será tratado.

Depois disto, é imediatamente refrigerado, durante cerca de dez ou quinze segundos, numa temperatura abaixo de 5 graus. Esta refrigeração auxilia na degradação enzimática e microbiológica, além de reduzir a carga microbiana.

 

Propriedades da Aloe Vera

A Aloe Vera possui uma grande quantidade de propriedades benéficas para a pele, a seguir, descrevemos algumas delas:

 

Capacidade cicatrizante e regeneradora

Como já mencionámos anteriormente, a Aloe Vera possui uma série de propriedades regeneradoras, cicatrizantes e hidratantes a nível cosmético; mas, para além disto, também se fala sobre a sua capacidade de evitar queimaduras na pele, como é o caso daquelas que surgem como resultado de uma exposição prolongada ao sol sem proteção. Esta última ocorre devido à sua capacidade de proliferação celular, que estimula a regeneração.

 

Ingrediente anti-envelhecimento

Uma das principais funções da cosmética é encontrar ingredientes com capacidade de estimular a produção de colágeno e elastina, de forma a abrandar o avanço dos efeitos da idade na pele, garantindo assim uma pele mais jovem. A Aloe Vera tem a capacidade de aumentar a produção de ambas as proteínas, o que se deve, entre outras coisas, à sua elevada concentração de vitaminas B, que, segundo os especialistas, aceleram o metabolismo da pele.

A Aloe Vera pode aumentar a produção de fibroblastos – as células responsáveis pela produção de colágeno – de 6 a 8 vezes. Ao estimular a produção de colágeno, a pele ganha firmeza e elasticidade e evita a perda de espessura da pele, que é o motivo do aparecimento de rugas.

Mas o que fazem, especificamente, estas duas proteínas? O colágeno tem a função de manter os tecidos do corpo unidos, pelo que uma diminuição na sua produção leva à perda de firmeza. A elastina, por outro lado, ajuda a conferir elasticidade, o que reduz a rugosidade, a profundidade e o aparecimento de rugas.

É por este motivo que a Aloe Vera converte-se num ingrediente perfeito para formular cremes anti-envelhecimento.

 

Capacidade hidratante

Também são conhecidas as propriedades hidratantes da Aloe Vera, que desempenham um papel imprescindível no equilíbrio da pele seca.

A pele seca está relacionada com uma barreira cutânea alterada, que no caso de pessoas com pele dessas características produz de forma reduzida algumas proteínas ou lipídios epidérmicos. A função da Aloe Vera, neste ponto, não é outro senão o de reforçar esta barreira cutânea para reverter o referido efeito, equilibrando assim a sua capacidade de hidratar e de reter a água.

 

Capacidade anti-inflamatória

De entre as propriedades da Aloe Vera, destaca-se a sua capacidade anti-inflamatória. Uma capacidade celular que surge como mecanismo de defesa da pele.

Na Aloe Vera encontramos enzimas e moléculas-chave presentes na ativação destes mecanismos, os quais participam do processo anti-inflamatório, sendo esta planta capaz de regular esses processos.

Além disto, alguns estudos sugerem que as propriedades anti-inflamatórias da Aloe Vera na pele podem estar relacionadas com o ácido salicílico, um ativo que tem uma função analgésica.

 

Utilizações da Aloe Vera

Tendo em consideração tudo o que foi dito anteriormente, não é de estranhar que a Aloe Vera, ou Sábila, seja uma planta que se utiliza para um grande número de tratamentos, seja para fins cosméticos ou para reduzir certas doenças superficiais e suas consequências. Entre algumas dessas utilizações, encontramos os seguintes:

 

Tratamento para queimaduras

Devido às capacidades cicatrizantes e regenerativas da Aloe Vera que mencionámos anteriormente, e ao seu poder anti-inflamatório, o sumo interno desta planta foi identificado como um bom medicamento natural para tratar queimaduras.

 

Tratamento capilar

Existem muitos tratamentos capilares – shampoos, máscaras, condicionadores e outros produtos – formulados com Aloe Vera. Isto deve-se às capacidades regenerativas deste ingrediente, que o convertem no componente perfeito para preencher o cabelo desde o interior e revitalizá-lo.

 

Solução oral

É do conhecimento geral que a Aloe Vera pode ser utilizada no tratamento de úlceras orais, por este motivo muitos géis são formulados com este ingrediente para evitar o seu aparecimento, assim como feridas. Por outro lado, as propriedades desta planta tornam-na um dos ingredientes com capacidade de combater a placa bacteriana, sendo capaz de devolver o esmalte às suas condições anteriores a este desequilíbrio.

Além disto, quando se trata de cáries, uma forma de prevenir o seu aparecimento é incluir Aloe Vera nas lavagens para mitigar as dores por elas causadas ou prevenir a perda de gengivas ou esmalte.

 

Tratamento cutâneo

Como temos vindo a explicar, os tratamentos cutâneos com Aloe Vera são cada vez mais comuns devido ao amplo espectro de benefícios para a pele que este ingrediente oferece.

Encontramos, portanto, a Aloe Vera tanto em sabonetes, como em géis, cremes faciais, cremes corporais, soros e inclusive em produtos de higiene íntima ou desodorizantes, devido a todas as propriedades benéficas de uma planta que, tratada com a formulação adequada, pode ser benéfica para praticamente toda a nossa pele.

O uso da Aloe Vera como um dos ingredientes de qualquer tipo de sabonete eliminará bactérias sendo amável com a pele, ou seja, sem prejudicar a sua barreira natural ou o seu pH, dado que se trata de um ingrediente não agressivo, com características anti-inflamatória e antioxidantes, que por sua vez, também ajuda a fomentar a retenção de água na pele de forma natural, criando um excelente equilíbrio.

Além deste ingrediente estar incluído em produtos de higiene, é muito comum encontrá-lo na lista de ingredientes de produtos de beleza que tenham como finalidade o tratamento anti-envelhecimento ou anti-manchas. No caso dos produtos anti-envelhecimento, como já concluímos anteriormente, isto ocorre devido à capacidade da planta em estimular a produção de colágeno e elastina, as proteínas de que a pele necessita para manter a sua superfície firme e cuja produção natural diminui ao longo dos anos.

No que diz respeito à sua capacidade de eliminar manchas na pele, a Aloe Vera é útil, principalmente para queimaduras solares ou outros efeitos que derivaram em hiperpigmentação ou despigmentação anormal da pele.

Por último, é conhecido que a Aloe Vera tem propriedades anti-acne, dado que em muitos casos a acne nada mais é do que uma inflamação na pele, pelo que um produto com capacidade anti-inflamatória ajudará a aliviar a área afetada.

Tendo em consideração toda a informação que acabámos de compartilhar, não é surpreendente que a Aloe Vera seja utilizada como ingrediente principal ou um dos ingredientes principais em tantos produtos para fins cosméticos ou mesmo medicinais.

 

Variedades de Aloe Vera

Muitas pessoas se perguntam que tipo de plantas de Aloe Vera existem e se todas as variedades podem ser utilizadas para os fins dermocosméticos que mencionámos ou se, pelo contrário, apenas algumas apresentam as características adequadas.

A realidade é que existem mais de 300 tipos de variedades desta planta e, dentro desta quantidade de variedades, nem todas têm as propriedades regenerativas de que falámos. Pelo que, no momento de incorporar este elemento na nossa rotina de beleza, é sempre melhor fazê-lo a partir de qualquer produto já formulado, que incorpore apenas a variante da Aloe Vera que tenha propriedades benéficas, e, para além disto, fazê-lo na medida e com a formulação necessária para que o tratamento seja afetivo.